domingo, 10 de setembro de 2017

Ai é com você.

Não é comigo, porque as coisas não são como antes e eu provavelmente sinto falta desse antes. Não é sobre minhas escolhas, porque eu escolhi você, mas esse 'voce' não existe mais. Então não é como voltar como se nada tivesse acontecido, e eu nem posso te falar, porque isso vai gerar a terceira guerra mundial e um tom indiferente e grosseiro que eu não quero encarar. Eu não posso escolher porque cada vez que eu ouço a sua voz eu desmancho e eu espero que voce corresponda, mas você não vai. Então não pode ser 'comigo' porque no fim das contas, eu to tão ridiculamente envolvida com algo que não existe, que não sou capaz nem de controlar meus atos ou expectativas. Não julga o que você não entende... eu sinto demais sua falta, mas eu nao posso forçar voce a sentir a minha...

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Entrei pra descarregar e me peguei compartilhando saudade, só desejando o que todo mundo deseja quando parece que nada quer dar certo. Voltar pro colo dela.

sábado, 15 de outubro de 2016

Não sei por que você se foi

Mãe,

Já se passaram quase dois meses e eu ainda não tinha conseguido vir aqui e desabafar, me faltavam palavras e sinceramente, ainda faltam.

No domingo você estava aqui com a gente, brincando, esbravejando e conversando e de repente na madrugada de segunda-feira a senhora se foi. Tem horas que ainda me sinto culpada e penso que se tivéssemos brigado com os médicos e a senhora tivesse ficado no hospital nada disso teria acontecido. Mas tenho que aceitar que não foi isso que aconteceu e que nunca mais vou ouvir a senhora reclamando que eu não lavei a pia da cozinha ou qualquer outra das pequenas reclamações diárias. 

Chorei como a muito tempo não chorava e cheguei no fim daquele dia com os olhos até secos, pois já não tinham mais lágrimas. Eu não esperava por aquilo, ninguém esperava por aquilo! Parece injusto que alguém como a senhora tenha sido tirado da gente do nada como aconteceu. Mas a senhora ficaria feliz se pudesse ver o seu velório. Tinha tanta gente! Todos realmente gostavam da senhora! Sabe a Dona Maria? Foi dela o gesto que eu achei mais bonito. Ela levou um galho das orquídeas dela que a senhora tanto gostava pra colocar no seu túmulo! As flores estavam lindas!!

Todo mundo estranhou quando a senhora não estava mais na porta de casa com a Isadora no horário de entrada da escola. Por falar na Isadora, ela já está correndo pela casa e bagunçando todas as suas coisas de cozinha! rs Ela também sente sua falta e de vez em quando olha pra cozinha tentando te ver, parece que cada dia ela fica mais parecida com a senhora! Adora uma música, uma bagunça e vive tirando um sarro da cara da gente.

Fizemos 3 dias de oração em casa e todas as pessoas com as quais a senhora participava das novenas vieram, foi bom. As leituras que a Maria fez me trouxeram paz e me fizeram aceitar que a missão da senhora na terra havia sido cumprida. A missa de sétimo dia também foi muito bonita! O padre lembrava da senhora participando das novenas e do bom humor da senhora e disse tudo isso durante a missa. Parabéns mãe, a senhora não só foi missionária como deixou como legado sua alegria e simpatia constantes.
Estamos seguindo mãe, mas ainda dói e acho que sempre vai doer. Espero que esteja bem e feliz.
Te amo!

P.S.: Amanhã seria dia de comemoração por aqui! Feliz 63 anos dona Gisa!

Beijos da caçula!

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Para você ler um dia

Seu primeiro dia das crianças, você não sabe nem falar ainda e eu ja imaginei tanta coisa pra nós duas nos proximos anos que você nem imagina. Com o tempo você vai perceber que a Dinda tem sérios problemas pra demonstrar afeto, mas prometo que vou fazer o melhor por você, e te dar tantos abraços quanto eu puder. Você tem só alguns meses e a gente não tem muito contato ainda, mas algumas decisões foram tomadas e jajá estaremos bem perto e você vai reconhecer minha voz e meu cheiro, e com muita sorte, vou te fazer rir muitas vezes ainda. É bem bagunçado esse monte de sentimento que você causou quando chegou e eu ainda estou aprendendo a lidar com eles, não falo sempre pra mamãe pra não ficar chato né (sua mãe não é tão fofa com todo mundo quanto é com voce, acredite) mas eu me preocupo todos os dias, taí algo que tambem vou melhorar, porque sei que quando você começar a andar (por favor, dê o gostinho de fazer isso na casa da Dinda) eu vou enlouquecer imaginando as quinhentas e sessenta e nove coisas perigosas ao seu redor e Deus ajude que eu não te coloque num plastico bolha antes de você completar um ano! Não me leve a mal, é meio psicótico mas é proteção, pra que você sinta o mínimo de dor possível, mesmo assim, quando o joelho ralar lá em casa, vai ter remédio que não arde e beijo que melhora (os que cura são os da mamãe). Eu desejo coisas boas pra você todos os dias, que você tenha um anjinho bem competente que te olhe todos os dias, e que seu sorrisinho (banguela ainda) atraia muitas coisas boas. É o primeiro dia das crianças e eu não vou estar nesse, mas espero que no próximo ja possa esconder seu presente pra você procurar, e que a gente coma algumas bobeiras (pode ser fit se a mamãe não deixar, outro dia te apresento chocolate) e vá brincar em algum lugar que você possa por os pés na areia. Incomoda um pouquinho, mas é legal, vou por os meus também, e depois um banho com uns patinhos (ou uma das vacas da madrinha) resolve tudo. Agora estamos aguardando ansiosamente pelo seu batizado onde finalmente vamos ter uma foto decente só nós duas e eu vou poder postar que joguei aguinha na sua testa e serei oficialmente sua Madrinha. E vamos poder matar um pouquinho da saudade antes que janeiro chegue e me leve de volta pra casa e pra perto de você. Enquanto isso, o beijo é de longe e o carinho também, mas não duvide que ele é real e a cada dia está mais enraizado.

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Fala, conta, manda um oi. Bora falar sobre o céu, o pão, a moça que falou alto no correio. Deixa eu contar da minha gata, da cor do esmalte, da série que to vendo. Mostra pra mim o trabalho, a blusa nova, o livro que comprou... Me deixa falar ou só olhar, fica por perto pra gente ver um filme ou um comercial bobo na TV. Comentar a novela que não assistimos, o artista que não conhecíamos... Fica ai, no whats, no face, na porta da minha casa, na pracinha da cidade, mas fica. São tempos corridos, a gente dá 'Bom dia' no automático, pergunta 'Tudo bem?' sem nem querer saber. E eu ando numa vontade tão grande de compartilhar o 'nada' dos dias, que nem sei se falta tempo ou companhia. Se falta um 'vem aqui beber com a gente' ou um 'To aqui' da minha parte. São tempos tão corridos...

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Um vinho, um filme...

Uma taça ou duas para passar pela segunda feira... um romance antigo que ainda me faça sorrir. Sem segurança nenhuma para deixar as palavras por aqui, mas sem muitos outros lugares para me desaguar. Gosto mesmo desses filmes antigos.

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Sobre empatia, medo e violência

E o dia hoje foi daqueles pesados.

A gente acorda e é bombardeada pelas informações do estupro da jovem no Rio de Janeiro. Trinta e três homens se acharam no direito de se aproveitar de uma mulher inconsciente. Trinta e três homens acharam que seria legal postar isto na internet e trinta e três homens acharam o que fizeram uma atitude normal.

Além destes trinta e três homens ainda somos obrigados a ler os comentários de outros muitos Joãos e Josés e Marias dizendo que ela mereceu. "Olha só onde ela estava", "Uma drogada", "Já tem até filho". Confesso que a um tempo atrás faria parte deste time, que julga a vítima e arranja motivos para culpá-la, mas percebi que nada dá motivos para o estupro ser realizado e nada transfere a culpa pra vítima.

Me dói saber que é mais fácil ensinar nossas garotas a "se darem valor" do que nossos garotos a respeitarem as mulheres e aceitarem um não. Me dói saber que todas nós saímos na rua com medo de sermos atacadas. Me dói saber que nossas meninas são vistas como objetos desde cedo, mas me dói ainda mais não ver isso mudar.

Não me venha com o papo de que se você for uma mulher "direita", não usar roupas vulgares, não ficar bêbada não será estuprada. Os homens não vêem uma história nas mulheres que atacam vêem apenas um objeto que eles desejam. Não importa se você está vindo da escola ou indo pra balada, não importa se é casada ou adora um sexo casual. Eles só estão vendo seu corpo!!

Quero mais é que esta nova geração de mulheres seja unida e lute contra isso, grite aos quatro ventos quando algo acontecer com elas e não se cale como as gerações passadas. Quero mais é que todos vejam a realidade é se forem taxadas de loucas, saibam que são sim, loucas pelo direito de viver com dignidade, loucas pelo direito de se divertirem sem risco, loucas pelo direito de ir e vir.

Quero que no futuro quando perguntadas sobre qual o seu maior medo ao andar sozinhas elas não respondam ser estupradas.

Qual o seu maior medo? O meu ainda é ser estuprada.