domingo, 1 de novembro de 2009

I Will Survive.

Aperto no coração. Dores, dores, dores!
Minha imbecilidade não tem tamanho, é inacreditável!
Têm uns calos nos meus pés e as minhas olheiras estão quase no queixo.
Porque aí, quando você pensa que as coisas vão dar certo, tem sempre um que pisa na bola. A reação dele me deu medo, tive medo dele. Parecia louco! Eu só queria me afastar, queria estar em casa e coberta até o pescoço. Queria encontrar alguém que pudesse ir comigo até a minha casa, ele não. Ele eu não queria nem ver. Cair na real? Caia na real! Você não vai mudar, nem vai ser quem eu sempre quis ter. Você não vai me fazer acreditar que está arrependido, que não queria ter me deixado lá. Não quero te dar outra chance de fazer tudo igual e cortar meu coração. Ainda não encontrei um jeito de me libertar dessas correntes que você colocou em volta de mim, mas eu vou quebrá-las nem que seja cantando "I Will Survive" dia e noite.

Nenhum comentário: