quinta-feira, 30 de junho de 2011

Se chorei ou se sorri....

"Amigos eu deixei..

Saudades eu senti partindo..
E as vezes eu deixei
Voce me ver chorar sorrindo...(8)"



Estou indo embora mais uma vez. E novamente não tem nada de simples nas decisões que devo tomar. Cada mudança adiciona no meu curriculo mais uma dúzia de experiencias. Cada mudança me faz deixar partes de mim para tras. Pensar que dia 17 de janeiro de 2009 eu estava deixando Lorena olhando pelo retrovisor meus amigos ficando... o cara que eu queria ficando, minha familia ficando... Mal sabia eu, que estava deixando a melhor parte de mim.
Viver aqui definitivamente não foi fácil. Ser a "Paulsita", intrusa, sozinha, deslocada, dona de casa, mãe, namorada a distancia... confesso que nunca quis vir pra cá, mas não tive muitas opções. Não me arrependo, nem lamento. Conheci pessoas, fiz amigos, ouvi histórias, aprendi a sorrir mesmo acordando às 4:30 da manhã, a ouvir minha solidão e arrumar forças dentro de mim, me decepcionei e me levantei meio incerta da vida.
Cometi loucuras, conheci uns limites, e acreditei que as esquinas erradas me fariam mais normal. Não fizeram. E agora coloco de novo as lembranças na mala, os amigos no coração, e com o msn mais carregado de contatos eu vou embora novamente. Encontrar um caminho novo, uma experiencia nova, algo ou alguem que me aceite toda cheia de falhas e de "pedaços" faltando. Vou atras de brilho pros olhos mesmo morrendo de medo dos passos errados que eu vou dar, das lágrimas que eu vo derramar, das cicatrizes que eu vou somar. Medo de tomar a decisão incorreta e que isso me leve ao destino que um dia juraram que eu teria.
Ah, o Rio de Janeiro que não me mostrou seu lado lindo, e que quando quis, eu me recusei. o Rio que me diferenciou pelo meu sotaque mas que me acolheu no seu sol de todo mundo. Vou sentir falta dos S's e R's chiados rsrs, da simpatia, da alegria, dos churrascos de segunda a segunda. O que tiver que ficar, que fique.
Aos amigos da faculdade, da dança, da van, da rua, do bairro... aos cariocas eu deixo meu Muito Obrigada. Embora eu não seja desse chão, o tempo que permaneci aprendi, vivi, me fiz e cresci por fim.
Agora a menina presa dentro do corpo da mulher guarda na caixinha as fotos e os sorrisos, faz bico e chora, mesmo sabendo que isso nunca adiantou. Ela sempre fica bem... ela tem de ficar.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

É, tem horas que eu realmente me sinto uma idiota!

Sabe quando finalmente cai a ficha de que você está sendo idiota? Estou num desses momentos. Quando parece que a ficha cai e a gente descobre o quão ingênua tem sido, imaginando que ele estava te tratando bem porque queria algo com você.


Não, desista, ele só queria sua ajuda pra passar de semestre! Agora que o trabalho acabou ele volta ao seu padrão, apenas cordial de ser, não mais carinhoso como vinha sendo.

Dói, mas quem disse que a verdade é fácil de se aceitar? Ele te liga e você estranha, pois faz tempo que ele não liga, mas relaxa, ele só quer as respostas daquele curso online que precisa ser entregue pra contar como reposição de aula.

Mas sabe o que é pior? Ele não precisava ter se dado ao trabalho de ser carinhoso (e acabar me iludindo), eu teria o ajudado de qualquer maneira! Não sou do tipo egoísta...

Chega, cansei de me iludir! E se eu passar a ser seca com ele, paciência! Sinceramente acho que é o que ele merece.



Se voce é ele, só mais um recadinho: Parabéns! Você conseguiu estragar meu dia (de novo)!

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Férias!!

Boa noite povo lindo desse blog lindo de meu Deus!! estava com saudade de falar minhas bobeiras por aqui.
Mas o semestre foi corrido e agora sim posso dar uma relaxada e postar mais, embora me falte assunto...

To numa fase altamente carente com uma recaída pelo ex (isso deveria ser proibido ao coração), na verdade a recaída se resume a sentir falta dos beijos dele, mas deixemos essa parte de lado. To carente ao ponto de ver indireta em tudo e ficar deprimida vendo filme porque sempre tem um casal feliz no final. Acho que tá na hora de começar a receber curriculos para namorado/rolo!! Interessados favor entrar em contato.

Nossa relendo essa frase percebo o desespero #ON, que horror! Não estou tão desesperada assim, pelo menos não ainda! rs

Gente tenho que aprender a controlar minha sinceridade pra não me prejudicar. Ontem na hora da prova a professora diz que pra passar era necessário acertar TRÊS de QUATRO questões ai no momento de desepero não consegui frear a língua e soltei: "E pra tirar E (nota máxima) tem que acertar cinco das quatro" e a professora me olhou feio!! rs. Depois na outra aula o professor fala que um tal fulano não fez a prova e eu solto: "Fez sim, ele tava fedendo horrores a cigarro logo na minha frente." E o cara atrás de mim que por um acaso é fumante ficou super sem graça e essa não era minha intenção porque ele não fede a cigarro ainda e é uma gracinha!!

Hoje em compensação decidi fechar a boca e assim fiz, nenhum fora no dia!! Que orgulho de mim!

Fora isso só devo dizer que o semestre foi uma porcaria com um projeto interdisciplinar que me rendeu muita dor de cabeça, do tipo de ter que apaziguar briga de marmanjo, ficar cobrando os manés, um porre! Foi o semestre mais trash que eu tive na faculdade até o momento.

Chega de lamentações que hoje eu só passei pra matar as saudades!

Beijos e se cuidem
;D

segunda-feira, 6 de junho de 2011

É na desordem do meu quarto que busco ordem aos meus pensamentos. As vezes penso que ninguém me conheça tão bem quanto eu gostaria, talvez seja melhor assim porque na verdade eu mesma vivo me perguntando a mesma coisa. Tenho uma pequena definição: "Sou apenas uma garotinha boba com crise existencial fazendo drama por problemas fúteis." ou Será que tenho dado importância demais a coisas desnecessárias? Isso foi terrível, eu sei... As vezes vejo coisas que não existem, ou essa apenas sou eu me esforçando pra ser quem gostariam que eu fosse, me descaracterizando cada vez mais. E esse ciclo apaga da memória quem eu fui, quem eu sou e agora já não sei mas quem eu vou ser. Desejando um futuro melhor. 

sábado, 4 de junho de 2011

Limpeza

Doando livros e brinquedos
Jogando fora papéis e lembranças
Deixando os cadernos de lado na esperança de ler o passado e encontrar lá a menina que que brilhava
Na esperança de voltar a escrever e ser de novo
Limpando o guarda-roupa, as gavetas e a alma
Lavando o cerebro e botando pra fora todas as palavras que estao engasgadas no meio da minha garganta

Eu gritaria se pudesse
Mas minha mãe não viria me ajudar
Odeio mudanças