domingo, 24 de novembro de 2013

Cabelo meu!

Aaaa como eu sou atrasada!! Nunca tinha visto este vídeo e estou simplesmente in love!!

"Cabelo, cabelo meu se você não fosse meu eu não seria tão... Eu"




Apoveitando que estamos falando de cabelo, olhem quem veio me visitar hoje?? Meus cachinhos!!  rs
Nesta parte do cabelo já quase não tenho mais química :)


Por hoje é só, só passei pra compartilhar o vídeo e minha felicidade com meus cachinhos! rs
Beijos bonitas e bonitos ;)

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Cabelo em transição

Boa noite bonitas!!

Estas últimas semanas foram de muitas decisões, muitas das minhas insatisfações foram resolvidas, mas isto irei contar em um outro post. Hoje estou aqui para compartilhar com vocês uma decisão que tomei. Na verdade comecei minha mudança a mais de um ano e agora influenciada por tantas histórias que li nos últimos dias e aproveitando meu momento de alto estima decidi ir fundo.

Pra quem não sabe eu tenho o cabelo todo cheio de cachinhos e a cerca de dois anos e meio me rendi ao relaxamento por ser mais "cômodo". Passei mais de um ano relaxando o cabelo e confesso que era mais prático fazer uma escova, porém toda as vezes que fazia relaxamento voltava com uma ferida ou outra na cabeça, cabelo que quando molhava tinha um cheiro forte e com o passar do tempo suuuper ressecado e difícil de pentear molhado, gastava uma fortuna com hidratações e reconstruções que só adiantavam na hora. Com tudo isso meu último relaxamento foi em set/2012 e sigo firme e forte só na base da escova, com o cabelo com duas texturas, mas sigo.

Ao longo deste um ano e 2 meses sem relaxamento notei meu cabelo voltando a ter brilho, ser fácil de pentear e fui me re-apaixonando pelas minhas molinhas. Confesso que não vem sendo fácil, mas tá na hora de me aceitar como eu sou! Poder sair na chuva sem medo de estragar a chapinha, não ficar sempre me preocupando se a raiz já está grande e que tenho que marcar retoque. Tenho lido muito e acompanhado outras "cacheadas" em transição e isto tem me dado forças pra continuar. Não tenho coragem de fazer o BC = Big Chop (grande corte) e eliminar toda a química de uma vez, mas aos poucos eu chego lá e quando conseguir meus cachinhos de volta eu mostro pra vocês.

Sei que vai ser complicado, sei que muitos vão criticar, mas sei também que vou me sentir em "paz" comigo, por me aceitar como sou. Porque bom mesmo é ser natural. =)





sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Quem me estuprou

Li esse texto em um Face e achei muito muito importante compartilhar em qualquer meio de comunicação, provavelmente vou postar no meu... e onde mais eu puder. Porque não devo ser a única que têm medo dessa violência, medo de ser violada, medo de ser diminuída, tenho medo de quem me come com os olhos e medo da sociedade que defende essa falta de respeito. É longo, mas vale a leitura! “Quem me estuprou. Hoje fui estuprada. Subiram em cima de mim, invadiram meu corpo e eu não pude fazer nada. Você não vai querer saber dos detalhes. Eu não quero lembrar dos detalhes. Ele parecia estar gostando e foi até o fim. Não precisou apontar uma arma para a minha cabeça. Eu já estava apavorada. Não precisou me esfolar ou esmurrar. A violência me atingiu por dentro. A calcinha, em frangalhos no chão, só não ficou mais arrasada do que eu. Depois que ele terminou e foi embora, fiquei alguns minutos com a cara no chão, tentando me lembrar do rosto do agressor. Eu não sei o seu nome, não sei o que faz da vida. Mas eu sei quem me estuprou. Quem me estuprou foi a pessoa que disse que quando uma mulher diz “não”, na verdade, está querendo dizer “sim”. Não porque esse sujeito, só por dizer isso, seja um estuprador em potencial. Não. Mas porque é esse tipo de pessoa que valida e reforça a ação do cara que abusou do meu corpo. Então, quem me estuprou também foi o cara que assoviou para mim na rua. Aquele, que mesmo não me conhecendo, achava que tinha o direito de invadir o meu espaço. Quem me estuprou foi quem achou que, se eu estava sozinha na rua, na balada ou em qualquer outro lugar do planeta, é porque eu estava à disposição. Quem me estuprou foram aqueles que passaram a acreditar que toda mulher, no fundo no fundo, alimenta a fantasia de ser estuprada. Foram aqueles que aprenderam com os filmes pornô que o sexo dá mais tesão quando é degradante pra mulher. Quando ela está claramente sofrendo e sendo humilhada. Quando é feito à força. Quem me estuprou foi o cara que disse que alguns estupradores merecem um abraço. Foi o comediante que fez graça com mulheres sendo assediadas no transporte público. Foi todo mundo que riu dessa piada. Foi todo mundo que defendeu o direito de fazer piadas sobre esse momento de puro horror. Quem me estuprou foram as propagandas que disseram que é ok uma mulher ser agarrada e ter a roupa arrancada sem o consentimento dela. Quem me estuprou foram as propagandas que repetidas vezes insinuaram que mulher é mercadoria. Que pode ser consumida e abusada. Que existe somente para satisfazer o apetite sexual do público-alvo. Quem me estuprou foi o padre que disse que, se isso aconteceu, foi porque eu consenti. Foi também o padre que disse que um estuprador até pode ser perdoado, mas uma mulher que aborta não. Quem me estuprou foi a igreja, que durante séculos se empenhou a me reduzir, a me submeter, a me calar. Quem me estuprou foram aquelas pessoas que, mesmo depois do ocorrido, insistem que a culpada sou eu. Que eu pedi para isso acontecer. Que eu estava querendo. Que minha roupa era curta demais. Que eu bebi demais. Que eu sou uma vadia. Ainda sou capaz de sentir o cheiro nauseante do meu agressor. Está por toda parte. E então eu percebo que, mesmo se esse cara não existisse, mesmo se ele nunca tivesse cruzado o meu caminho, eu não estaria a salvo de ter sido destroçada e de ter tido a vagina arrebentada. Porque não foi só aquele cara que me estuprou. Foi uma cultura inteira. Esse texto é fictício. Eu não fui estuprada hoje. Mas certamente outras mulheres foram.” — Aline Valek.

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Crislei em crise?

Olá gente bonita! :)

Só pra variar passando aqui pra desabafar né? rs
Milagrosamente não vou falar da minha não vida amorosa, mas da profissional e escolar.
Sei lá to cansada do meu emprego, na verdade eu gosto do que faço, gosto da maior parte das pessoas que trabalham comigo, mas sou altamente explorada do ponto de vista salarial. Executo atividades a nível das secretárias de diretoria e ganho como uma assistente técnico. Hello? Na hora de passar serviço beleza né, mas na hora de reconhecer nem ferrando? Bonito né! Sem contar que o outro cara que entrou lá  faz provavelmente metade do que eu faço, nega serviço pra Deus e o mundo e adivinhem? Ganha melhor do que eu! =/
Sobre a vida escolar é um pouco mais fácil de resolver. Sou técnica em informática industrial, tecnóloga em TI, pós-graduanda em desenvolvimento WEB e nunca trabalhei na área e nem sei se quero. Conclusão: sou uma louca que gosta de jogar dinheiro fora, só pode ser. De qualquer maneira to num fase da pós que penso seriamente em largar o barco, pular fora, mas ao mesmo tempo odeio deixar as coisas pela metade. E seu eu largar que rumo posso tomar? Parece que abandonar me dá mais medo ainda. Uma opção seria partir pra gestão e me dedicar ao inglês, mas mesmo assim me sinto insegura.

Fim do desabafo.

Quem conseguiu chegar até aqui, obrigada pela paciência e sei que não sou a única a reclamar de reconhecimento profissional muito menos ter dúvidas do que fazer da vida, mas às vezes só precisamos de um momento de desabafo.

Tirando estes "probleminhas" posso dizer que nunca estive tão bem de auto-estima! Estou me gostando, me cuidando e feliz na minha solteirice, sem querer desesperadamente um namorado como tantas vezes antes. É, difícil estar bem em todos os sentidos da vida, mas to tentando :)

Beijos e se cuidem


sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Vivendo por dois

Uma grande surpresa, surpresa para mim, para minha familia, amigos, enfim uma surpresa para todos.

No momento em que descobri que agora eu seria mãe, tantas coisas começaram a passar pela minha cabeça. Será que eu seria capaz de gestar um bebê? Alimenta-lo, educa-lo, ama-lo?
Foram tantos problemas que eu sabia que iria passar, engravidar de uma cara que de longe seria alguém que eu amava, alguém que minha família nunca se quer havia visto.
Admito passou pela minha cabeça o aborto, mas não, eu não teria coragem. Seria uma covardia tirar a vida de alguém que não pediu pra estar aqui, alguém que depende de mim para ser amado e digo já o amo. Passei por cima de qualquer medo e julgamento da família por amor, pela vida do meu bebê alguém que irá me amar acima de qualquer coisa, que me trará muitos momentos de felicidade, tenho certeza disso.
Não foi fácil ouvir as coisas que ouvi de onde eu precisava de apoio, carinho, colo... Mas reconheço que tudo o que foi dito foi por amor também. Pai e mãe sempre querem o melhor aos seus filhos e apesar de qualquer coisa que eles tenham dito, sei que não foi por mal. Chorei e como chorei, mas cada lágrima tem sido transformada em amor.
É maravilhosa a sensação de sentir mãe, sentir todo seu corpo em transformação (agora tenho seios maiores rs), até as partes "ruins" da gravidez são boas, ir ao banheiro toda hora, sentir enjoo, mas também que tem uma outra vida dentro de você, sentir crescê-lo, o coração bater mas forte e sentir a todo o momento o seu sangue correr no corpo, como é maravilhoso.
Graças a Deus as coisas veem se acertando, a família já está me dando mais apoio, tenho tido um carinho muito especial do pai do meu bebê, mesmo com o jeito meio doido e distraído dele de ser, e agora posso até me arriscar em dizer que já há algum sentimento mais forte por ele que vai além de gostar, se é amor eu ainda não sei, meus sentimentos estão confusos, mas tenho esperanças de que no final tudo vai ser acertar.
Hoje agradeço por ter tido sabedoria em não ter tirado uma vida, o quanto estaria arrependida por isso é imensurável. E que eu possa daqui pra frente ter muitas coisas boas pra contar...


terça-feira, 6 de agosto de 2013

Where is the love?

Olá caro leitor!

Sabe aquele tipo de época que não dá nem gosto ler/assistir a um jornal? Parece que esta tem sido a realidade. Só tem tragédia. Filho que mata pai, mãe que joga o filho recém nascido fora. Corrupção, drogas, mortes, estupros, abandonos, crimes contra os animais! Alguém por favor para o mundo que eu quero descer.

Fora os jornais tem tudo ao nosso redor, parentes que brigam por bobagem, irmãos que não conversam, pessoas que só pensam no dinheiro. Onde vamos chegar assim? (ou seria aonde??)

Tanta gente passando por cima dos outros para crescer, tanta hipocrisia! Que só me vem a mente aquela música do Black Eyed Peas: Where is the Love??

 

What's wrong with the world, mama?
People living like they ain't got no mamas
I think the whole world addicted to the drama
Only attracted to things that'll bring you trauma

Overseas, yeah, we try to stop terrorism
But we still got terrorists here living
In the USA, the big CIA
The Bloods and The Crips and the KKK

But if you only have love for your own race
Then you only leave space to discriminate
And to discriminate only generates hate
And when you hate then you're bound to get irate, yeah

Badness is what you demonstrate
And that's exactly how anger works and operates
Man, you gotta have love just to set it straight
Take control of your mind and meditate
Let your soul gravitate to the love, y'all, y'all

People killing, people dying
Children hurt and you hear them crying
Can you practice what you preach?
And would you turn the other cheek?

Father, Father, Father, help us
Send some guidance from above
'Cause people got me, got me questioning:
Where's the love? (Love)

Where's the love? (The love)
Where's the love? (The love)
Where's the love, the love, the love?

It just ain't the same
Always in change
New days are strange
Is the world insane?

If love and peace is so strong
Why are there pieces of love that don't belong?
Nations dropping bombs
Chemical gasses filling lungs of little ones
With ongoing suffering as the youth die young

So ask yourself:
Is the loving really gone?
So I could ask myself:
Really what is going wrong?

In this world that we living in
People keep on giving in
Making wrong decisions
Only visions of them dividends

Not respecting each other
Deny the brother
A war is going on
But the reason's undercover

The truth is kept secret
It's swept under the rug
If you never know truth
Then you never know love

Where's the love, y'all, come on
(I don't know)
Where's the truth, y'all, come on
(I don't know)
Where's the love, y'all

People killing, people dying
Children hurt and you hear them crying
Can you practice what you preach?
And would you turn the other cheek?

Father, Father, Father, help us
Send some guidance from above
'Cause people got me, got me questioning:
Where's the love? (Love)

Where's the love? (The love)
Where's the love? (The love)
Where's the love?
The love, the love

I feel the weight of the world on my shoulders
As I'm getting older, y'all, people gets colder
Most of us only care about money making
Selfishness got us following our wrong direction

Wrong information always shown by the media
Negative images is the main criteria
Infecting the young minds faster than bacteria
Kids wanna act like what they see in the cinema

Yo', whatever happened to the values of humanity
Whatever happened to the fairness in equality
Instead in spreading love we spreading animosity
Lack of understanding, leading lives away from unity

That's the reason why sometimes I'm feeling under
That's the reason why sometimes I'm feeling down
There's no wonder why sometimes I'm feeling under
Gotta keep my faith alive till love is found
Then ask yourself...

Where's the love?
Where's the love?
Where's the love?
Where's the love?

Father, Father, Father, help us
Send some guidance from above
'Cause people got me, got me questioning:
Where's the love?

sábado, 3 de agosto de 2013

Eu juro..

Te juro amor eterno..♪

domingo, 21 de julho de 2013

A sensação é dura e grita no fundo pra confundir tudo na minha cabeça. A sensação bem agora é que eu não vou ser feliz nunca mais.

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Coisa diferente

"Existem aqueles dias quando você sente uma coisa diferente dentro de si, um sentimento estranho. É meio que uma mistura de carência com angústia, e totalmente desagradável. Sentindo como se estivesse sendo corroído por dentro ou como se estivesse desmoronando. Você precisa de alguém, mas não sabe exatamente quem. Só consegue imaginar.
A saudade é um sentimento que nem deveria existir. Sentir saudade é ter uma ausência ao seu lado. É ter dias mais longos, ter mais tempo para sua família e conversar sobre assuntos que nem te interessam. É ir a um lugar e não lembrar porque foi lá. A saudade é a inconfortável e eterna expectativa de um reencontro que talvez nunca aconteça.
Às vezes, a saudade fica tão grande que ela não é mais o sentimento. A pessoa é saudade. A pessoa vive saudade, vive pra encontrar o olhar daquela pessoa em cada esquina. Vive tanto isso que pode confundir cabelos e perfumes. Sorri mesmo tendo o coração apertado. E quando você finalmente encontra quem tanto queria, vem aquela tal sensação libertadora junto com uma voz na sua cabeça que diz "ufa, acabou!".
Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos; não saber como encontrar o que fazer para ocupar a mente; não saber como parar de pensar em alguém quando toca uma música; não saber como ignorar a dor do silêncio no quarto à noite.
Mesmo a saudade sendo feita para doer, às vezes, percebemos que ela é o meio mais eficaz de enxergar o quanto amamos alguém. Não que a saudade só venha depois do amor. É que antes não havia espaço pra ela. Essa tal saudade. Ainda não mata, mas incomoda. Saudade é isso que você, provavelmente, está sentindo agora que acabou de ler."



Exatamente como eu me sinto.
Texto de @UmVirgem

domingo, 12 de maio de 2013

Dia das mães

Pra ela que cheirava a sabonete por horas após o banho.
Pra ela que fazia torta e empadão pra agradas à gregos e troianos. 
Pra ela que aguentou meus tormentos e meus sustos antes dela ir dormir.
Pra ela que me colocou na cama varias e varias vezes seguidas mesmo com meus 17 anos.
Pra ela que me viu chorar por um, por outro, e morrer de amores perdida sem saber o que fazer.
Pra ela que ficou nove meses segurando o organismo que queria me abortar, que fez tudo o que podia pra me trazer ao mundo inteira.
Pra ela que no ultimo suspiro de vida perguntou das meninas dela, as meninas que ela estava deixando sem abraço de mãe, carinho de mãe, bronca de mãe. 
Pra ela que deixou a gente aqui, não porque quis, mas porque Deus chamou pra morar com ele. 
Pra ela que esteve presente em cada SEGUNDO dos 17 anos.. e que permaneceu na memória mesmo depois que foi embora.
Feliz dia das mães pra ela que nao vai ler mensagem em facebook, não vai ser acordada com café na cama e nem vai ganhar presente caro nem barato. Feliz dia das mães pra mulher que soprou a vida em meus pulmões e depois me deixou continuar sozinha, só pra me mostra mais uma vez que estava certa, e que eu sentiria a falta dela todos os dias quando ela fosse embora. Ela sempre esteve certa. E Deus permita que um dia alguém me chame de mãe e tenha tanto carinho quanto o que eu tenho por ela. 
Feliz dia das mães, mãe. Mesmo que eu não possa mais te chamar e te ouvir responder... eu sempre penso em você.

quinta-feira, 14 de março de 2013

Cuidado com as unhas

De uns tempos para cá, confesso que influenciada por minha amiga do serviço, tenho tomado muito mais cuidado com minhas unhas. Li muita coisa e acabei decidindo não mais remover as cutículas com alicate.

Confesso que no começo foi terrível vê-la e não tirá-las, mas com o tempo me acostumei e só tiro o excesso, sem utilizar o alicate. Para conseguir não tirar as cutículas tem que ter muita hidratação: creme para mãos e unhas, óleos especiais para as unhas e um monte de outras coisas que a internet diz que é bom e a gente testa.

Ainda não cheguei a unha perfeita, mas estou me esforçando, minhas unhas estão bem mais saudáveis, diminuindo ondulações e estrias (que eu nem sabia que tinha em unhas até minha amiga me apresentar e me deixar desesperada!!). Agora elas crescem e não quebram como antes.

Como o tempo para fazê-las diminui, por não remover a cutícula, agora eu invisto na pintura das unhas e desde a semana passada tenho o desafio da semana escolhido junto com minha amiga do serviço. Vou colocar as fotos pra vocês verem e eu tô melhorando nesta arte que é pintar as unhas.
Segunda semana

Primeira semana

Prometo que posto meus próximos desafios aqui para vocês verem também! ;)
E vou trazendo algumas novidades do mundo das unhas que eu achar legal pra compartilhar. Também devo voltar com força total no blog, não só com unhas, cabelos, maquiagens, mas com tecnologia e quem sabe um pouco de cinema e literatura que eu adoro.

Vamos ver se consigo levar estas ideias adiante

beijos gente e até a próxima!


Hmm.. seus olhos são espelhos d'água...

"... brilhando você pra qualquer um.."

Ahhh se eu pudesse contar o quanto tenho pensado, o que eu tenho pensado...
quantos sorrisos me foram tirados e o quanto mexeu comigo.
Essas coisas que acontecem do nada, te levam à adolescência quando você tinha borboletas no estomago e os pés fora do chão.
Da um medo bobo, uma vontade desesperada, um desejo que fica contido nas palavras que eu não me atrevi dizer...

depois de, sei lá quanto tempo, conseguiram me tirar o sono...


"hmm, que vontade de ter você..
que vontade de perguntar
se ainda é cedo..
Que vontade de merecer..
um cantinho do seu olhar
mas tenho medo.."

(8)'

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

wrong.

Você grita, xinga, briga e esperneia. Bate o pé e exige uma solução.
No fundo, você vê todas essas coisas que não vão dar certo e só reza com todo seu ser, que esteja terrivelmente enganada.

Eu adoraria estar errada...

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Aqueles dias...

É estranho pensar que os olhos brilham, o coração dispara, as mãos tremem e os corpos se buscam mas mesmo assim, não é o bastante para fazer os dias de sol voltarem.
O amor não vai passar, mas sem duvidas, ele jamais será o mesmo...