terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Sindrome.

Angustia, panico, desespero. Acorda, o celular tocou! Mais angustia, não quero fazer, volta a dormir. Acorda, ja ta mais que na hora! Coração é o que? Ta doendo essa joça. Não olha pra mim, não fala comigo, não quero falar com ninguem. Ainda não acordei. Por que não tem ninguem? Cheiro de passado, cheiro de fracasso, cheiro que aparece e some. Chora um pouco... não sai lágrima, mas a dor ainda existe. Sindrome do panico, da frescura, da fraqueza, da idiotice, sindrome do que mesmo? Isso nem existe! Toma vergonha na cara, e vai fazer alguma coisa da vida, garotinha ridicula.

domingo, 13 de dezembro de 2015

Toda errada

Perfumes, sorrisos, olhares e mistério. Segura minha mão quando ta escuro, juro que não conto pra ninguém. É tanta esquina errada que eu ja nem sei mais como voltar pro caminho... Deixa assim.. gosto mesmo de você do meu lado.

terça-feira, 14 de julho de 2015

Entalada.

Segura o não, segura o choro, segura aquele 'Vá pra putaquepariu', aproveita e segura o 'não quero visitas' também, segura pra não mandar a merda, segura pra não falar que vergonha ta faltando na cara dela e não das meninas, segura esse monte de verdade entalada pelo bem do seu rostinho lindo, da boa convivência e do amor pela vida. Segura pra não perder as amizades, e reza minha amiga, reza com toda sua fé pra não morrer com tanta palavra entalada na garganta. Boa noite É, estou de volta.